XIII, a Estória (parte 3/3)

Hoje, chegaremos ao nosso destino.
Ou ao menos tentaremos.

Perdeu algum pedacinho?

Parte 1
Parte 2

Sigamos!

 

The Whore and the Beast

Numa rua suja muito longe do paraíso, um homem brada aos céus que o fim está chegando. The Whore and the Beast, a prostituta da babilônia e a besta, ele clama, estão vindo e fim dos tempos está perto! Ele lhe observa com os olhos amarelos e aponta um dedo ossudo na direção de sua alma, “ela pegará a carne e o diabo o resto”.

Do You Remember the Cold?

Você se afasta, ainda ouvindo o homem gritar na cidade que fica cada vez menor.
Em seu bolso há uma passagem de trem e, antes que você possa se questionar o destino, se vê em movimento e envolto em tanto calor e música que se pergunta se ainda se lembra da última vez que sentiu frio.  

After the Night

A noite te carrega e você perde noções de tempo e espaço. O trem se estende como uma grande festa indo sempre rumo a escuridão. As bebidas, as drogas, tudo que há de primitivo em você, que quer apenas se divertir, se liberta sob o cobertor seguro da canção After the Night.
Ao final da noite, você não se sente mais bem.
Toda celebração precisa acabar e, muitas vezes, os piores comportamentos ainda estão por vir.

Bridge to a Staring Sea

Ao descer do trem, o vento da noite lambe seu rosto.
Sua cabeça dói e você sente como se tivesse sido o último a desistir da festa.
A sua frente, uma ponte antiga se projeta sobre o mar. As ondas batem vagarosamente enquanto você anda sem saber para onde, seguindo a grande serpente de concreto e madeira que desafia o mar a derrubá-la.

Tied in High Tide

Ao longe você escuta o som de um velho cantarolando uma canção de sua terra.
Ele te vê e chama para que se aproxime de seu farol enquanto dedilha o banjo e conta sobre o homem que amaldiçoou deus e o diabo e nunca mais conseguiu retornar a terra seca. A canção se chama Tied in High Tide, ele murmura.
No mar ele se perdeu, diz o velho, e enquanto a canção se desenrola, cresce e se funde com as ondas sempre a bater, você finalmente entende que quem está perdido é você.

Por isso você parte, em busca de quem possa te guiar novamente para seu caminho.

E a história, como sempre foi e sempre será, se repete.